Imagem

Busca

Set / 2012 - Colunas - Sinais de Recuperação

Pela Primeira vez em meses, começam a surgir alguns sinais de recuperação no ritmo da atividade econômica brasileira. De fato, ao longo do último semestre de 2011, verificou-se uma crescente desaceleração da economia brasileira e o próprio crescimento do PIB ficou um pouco abaixo do esperado no ano passado.As previsões iniciais eram de que 2012 seria um ano de retomada um pouco mais robusta e apontavam para cerca de 3%. No entanto, o que se registrou no primeiro semestre do ano foi um desaquecimento ainda mais pronunciado, com os dados do PIB revelando uma estagnação econômica como há muito não se via no Brasil nos anos recentes. À medida...

Ago / 2012 - Colunas - A grande recessão sem fim à vista

Está claro que a desaceleração do ritmo da atividade econômica das economias desenvolvidas há já alguns anos está começando a se refletir sobre os países emergentes.Desde fins de 2008, a economia dos EUA, até então o principal motor da expansão econômica por boa parte da década passada, entrou em estado de estagnação. As ações do Banco Central dos EUA, o Fed, apenas evitaram a derrocada do sistema financeiro americano e mundial. A economia americana, porém, não tem reagido às baixas taxas de juros, dado o elevado endividamento das famílias. Uma recessão mais profunda só foi evitada em face da política fiscal expansionista. A situação tam...

Jul / 2012 - Colunas - Crise global em perspectiva

A crise econômica global, que teve como marco de início a quebra do banco Lehman Brothers, em setembro de 2008, prossegue sem dar sinais de trégua. Desde os momentos mais agudos da crise daquele ano até agora, o cenário econômico mundial permanece de estagnação do crescimento do produto e um expressivo aumento do desemprego global.Após os estágios iniciais, os governos agiram prontamente com o intuito de evitar o pior: o colapso completo do sistema financeiro mundial. No bojo desse processo, a política fiscal expansionista dos EUA ajudou a conter o processo recessivo em que a economia norte-americana ingressou e viabilizou alguma recupera...

Jun / 2012 - Colunas - Limpando o passado

O-Brasil dá passos importantes no sentido de reduzir as taxas de juros, com a eliminação de entraves históricos e mudanças em vários aspectos de funcionamento do mercado, no sentido de promovermos o funcionamento de algo mais próximo à realidade no resto do mundo. As taxas de juros na economia nacional são as mais elevadas do planeta. Isso onera enormemente a produção e o investimento produtivo e desestimula o consumidor a obter algum tipo de financiamento.O governo brasileiro age recentemente em dois eixos fundamentais na tentativa de mudar essa dinâmica. O primeiro remete aos entraves relativos à redução da taxa básica de juros (Selic)...

Mai / 2012 - Colunas - Indústria ameaçada

O debate econômico recente tem se voltado em torno da questão da eventual existência de um processo de desindustrialização em curso no País. Esse tema ganhou impulso após a divulgação dos dados recentes sobre o Produto Interno Bruto (PIB) pelo IBGE, que indicaram que a participação da indústria nacional sobre o produto caiu significativamente.A indústria nacional, de fato, tem sofrido enormemente com a concorrência externa, sendo o principal vetor desse processo a apreciação do real frente às demais moedas, o que tem corroído a competitividade da indústria brasileira ao longo dos últimos anos. O governo brasileiro está ciente desse proces...

Abr / 2012 - Colunas - Ajustes no câmbio

O governo tem tomado medidas no sentido de tentar conter a apreciação do real frente às demais moedas nos últimos tempos. A extensão da cobrança do IOF de 6% para operações de empréstimos externos de cinco anos foi uma das mais recentes.Tal medida, e da mesma forma que as anteriores, procura conter as pressões existentes no mercado cambial que tornam o real cada vez mais valorizado.A problemática do contínuo fortalecimento do real e os seus efeitos sobre a competitividade e a estrutura produtiva do País não são recentes. Desde meados da década passada, nossa moeda tem se fortalecido, e essa tem sido uma dinâmica que tem afetado cada vez ...

Mar / 2012 - Colunas - Macroeconomia & Finanças

Os mercados financeiros sempre tiveram um papel importante nas economias modernas. Eles desempenham um papel fundamental ao direcionar os recursos disponíveis na economia para empresas que desejam realizar investimentos produtivos. Também permitem que as famílias realizem empréstimos para obter bens e serviços. Por sua vez, os países podem obter recursos no exterior e estimular seu crescimento.A globalização e o crescimento dos mercados financeiros amplificaram o papel destes. Seu escopo transcendeu o mero estímulo ao crescimento econômico, e os mesmos passaram a determinar o emprego e a política nos países.Ao longo das últimas décadas, ...

Fev / 2012 - Colunas - Perdendo força

As projeções para o crescimento econômico do Brasil no ano passado, elaboradas no começo de 2011, eram relativamente positivas. Chegou-se a imaginar que o produto brasileiro poderia chegar a crescer 4,5% no ano, com a produção da indústria também apresentando uma reação considerável. Sob essa perspectiva, o emprego deveria continuar crescendo, com uma continuidade do processo de recuperação da renda. O eixo central dessa retomada continuaria a ser o crédito, cujo crescimento tem se mostrado como um importante vetor para a demanda do Brasil em anos recentes. Mesmo com o ambiente internacional ainda incerto, não se aventava que esse ambient...

Jan / 2012 - Colunas - O cenário para 2012

O fechamento de 2011 deixa uma série de dúvidas e incertezas para o ano que se inicia. As economias desenvolvidas seguem exibindo fragilidades consideráveis, que elevam a perspectiva de risco global e os temores de uma nova recessão neste ano.Sob essa perspectiva, a economia norte-americana segue relativamente debilitada. A atividade econômica segue se recuperando ainda, em grande parte, em função dos impulsos fiscais proporcionados pelo governo dos EUA. O consumo do setor privado ainda segue retraído e incapaz de proporcionar uma dinâmica de crescimento sustentável para a economia americana ao longo de 2012. Adicionalmente, a perspectiva...

Dez / 2011 - Colunas - Atividade em ritmo lento

Os sinais mais recentes em torno do ritmo da atividade econômica no Brasil apontam para uma desaceleração, sendo que alguns ramos estão sendo mais duramente atingidos nesse momento.Sob essa perspectiva, a indústria nacional é um dos setores mais afetados. A produção na indústria dessazonalizada em setembro caiu 2,0%, em relação ao mês anterior, e registrou queda de 1,6% em relação ao mesmo período do ano passado. O resultado de setembro cristaliza um cenário de estagnação na indústria, dado que nos dois meses anteriores a produção industrial apresentou variação praticamente nula. As maiores quedas foram concentradas nos segmentos produtor...